Ferrovia do Trigo EF-491 Rio Grande do Sul

Bom dia aventureiros!

521788_531331286896566_1484705773_n 1390143786015_90 1390060396078_90 1390142828336_901390049244406_90 231174_531334163562945_246079548_n

A Ferrovia do Trigo foi inaugurada em 1978 pelo presidente Ernesto Geisel, e tinha uma linha regular de trem de passageiros entre Passo Fundo e Porto Alegre. A viagem era uma atração turística, pois o trem furava montanhas e saltava vales e canhadas da estrada de ferro, que possui 26 pontes e viadutos e 34 túneis. Desses, 21 estão entre Guaporé e Muçum – sendo que, neste trecho, está o Número 13, também conhecido como Viaduto do Exército. Com 509 metros de comprimento e 143 metros de altura, sendo o maior viaduto ferroviário da América Latina, e um dos mais altos do mundo.

Em janeiro desse ano (2014), realizei na companhia de uma amiga a travessia da ferrovia entre Guaporé (km61) e Muçum (km13), 48 km de distância de caminhada pelos trilhos, uma vez que o trem de passageiros foi desativado nos anos 80. Hoje em dia apenas circula trens de carga, a responsável pela via é a concessionária ALL. Legalmente é proibido circular pelos trilhos, mesmo assim pelo trajeto encontramos outros trilheiros em sentido contrário, bem como banhistas pelas cachoeiras e rapeleiros nas pontes. Talvez tenha se tornado um santuário para os apaixonados por aventura. E sim, encontramos um trem pelo caminho (ou ele nos encontrou)!

Nós partimos cedo de Porto Alegre em direção à Muçum e lá estacionamos o carro em frente à rodoviária localizada na praça central ao lado da igreja matriz. Compramos o bilhete na hora e pegamos o ônibus Expresso Azul às 8h30 em direção a Guaporé com duração de aproximadamente 30min. Pedimos ao motorista para descer próximo à BR, pois a mesma é paralela a via férrea e de lá já avistávamos os trilhos.

Quando você se insere na faixa de domínio percebe o descaso pela manutenção, as antigas estações estão depredadas ou invadidas. O único sinal de sobrevivência que encontramos pelo caminho foi no km 22, aproximadamente metade do caminho, o camping Recanto da Ferrovia, comandada pelo Clair. Uma ótima pessoa que te recebe super bem! Ele vive no local e graças a ele a ferrovia ainda tem vida. Foi lá que dormimos, na época ele tinha apenas duas camas, ele possui espaço para quem acampa e atualmente ele vem construindo e ampliando o camping. Sob o domínio das terras dele foi construído o viaduto pesseguinho. Achei super engraçado (ou desgraçado), ele contar que o viaduto é dele, uma vez que a desapropriação nunca foi feita! Pelo menos hoje em dia ele consegue ter um retorno, ao menos turístico, com a existência dos trilhos. No camping também tem uma cachoeira (mini praia) em meio à floresta que dá para curtir e relaxar no fim do primeiro dia de trilha. Aproveite que o Clair tem água para vender e se reabasteça BEM, pois depois disso vai ser complicado encontrar água inclusive não potável.

Existem outras duas cachoeiras para aproveitar para um banho entre os trilhos, a primeira: véu da noiva, e a segunda: garganta do diabo, que é uma passagem de drenagem por baixo do aterro (observar os mapas). Ambas cachoeiras são facilmente localizadas pelo barulho da água, mas estão localizadas no primeiro trecho da trilha, antes do pesseguinho. O primeiro trecho é mais denotado por túneis, era o que salvava a gente do calor, pois o frescor nos aliviava dos 40ºC do verão da serra. E um dos pontos ápices o viaduto Mula-Preta, o primeiro viaduto sem fundo (sem assentamento dos dormentes), com aproximadamente 100m de altura te dá arrepios, pois se vê totalmente o fundo quando o atravessa. Dica, olhe apenas para onde pisa, pois dá uma bela de uma tonteada quando começa a se observar o fundo!  É respirar fundo e curtir o vale. Já pelo segundo trecho se passa por outros dois viadutos sem fundo. Portanto, o mula-preta será apenas o aperitivo.

No segundo dia, encontramos o ápice da trilha. As janelas e o viaduto 13, do qual realizei o rapel negativo de 143m de altura. O restante da trilha se torna um pouco desgastante e é importante estar bem hidratado, esteja munido até o fim.

Nas figuras eu anexei os mapas que eu mesma criei, espero que ajude!

E recomendo a todos esse trajeto incrível que te surpreende a cada obra de arte, principalmente aos engenheiros como eu! Ahhh head-lamp é muito importante para os túneis que são longos, e procure entrar em contato com o Clair antes de ir!

68622_10202117477131327_1250305882_n1492657_10202117478611364_3396406_o1546155_10202117478571363_815153487_n

Uma singela homenagem ao meu pai que é original dessa região e torcedor dos Fortes Livres de Muçum.

1356642918544_90 1356642918847_90

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s