46k CÂNIONS

A previsão era de frio, mas o dia amanheceu fresquinho e logo o sol tomou conta.  A geada refletia sobre os campos, aquela imagem que a gente mais gosta de ver nos aparados. A temperatura não podia estar melhor para a região. Aquela brisa gelada num um sol que aquecia. Seriam 16 competidoras femininas e disseram que eu tinha chance de pódio. Mesmo assim fui tranquila, pois minha prova alvo está próxima. O treinador nem sabia, nem tinha autorizado, mas aproveitei a prova para fazer um maravilhoso treino que vingou na classificação geral.

image3 (1).JPG

Largamos dentro dos campos de charco, em 10 minutos os pés já estavam encharcados, lembrou-me muito as provas de aventura. Não existiam trilhas, eram apenas azimutes no meio de muitos campos. Muros de pedra coloniais que deveríamos pular algumas vezes, além de cercas de arame que me tiraram alguns nacos. Um trecho, que juro, assemelhava-se muito a Indomit Pedra do Baú, onde nesta última possuía vários avisos de cuidado com pontos de exclamação; porém nos cânions era apenas um tapinha no ombro e boa sorte. Um ponto negativo é que tive dificuldade em algumas marcações, elas eram um pouco espaçadas e eu míope me guiava por um colega que vestia laranja, usei o Antonio como meu marca trilha, acabei conhecendo ele ali na prova mesmo. Ponto positivo é que haviam staffs até a cavalo, primeira vez que vi isso, adorei!

Em um momento éramos 6 mulheres correndo juntas, mas ao chegar no cânion da Ronda eu continuei e acabei não tendo fotos espetaculares como das amigas que aproveitaram o momento e ficaram por lá. Segui e vinguei uma 3 colocação geral feminina, além de ter corrido com um certo estilo inusitado, no estilo do meu novo patrocinador La Sportiva, investi numa vestimenta a la Krupicka.

i-KFqx7Dz-XL.jpg

image2 (1)

Infelizmente por problemas com parque e comunidade, o Ronda foi o único cânion que passamos. Espero que tudo se ajuste para as próximas edições porque eu estou louca para voltar para ver o Funil e Laranjeiras.

No contexto geral, foi uma ótima prova para ritmar, não passamos por vales ou montanhas para subir, apenas o charco, campos, e o cenário dos aparados da serra; que me proporcionaram uma visão lindíssima da minha terra que raramente aproveito.

image1 (2)

Passamos por produtores de maça que nos ofereceram as frutas durante o caminho (eu fiquei encantada com os coloninhos), passamos por nascentes de rios – gelados, mas de uma riqueza inigualável, atravessamos também esses mesmos rios. E passamos uma boa quilometragem dentro do parque eólico que igualmente é de uma beleza particular.

A prova num contexto geral foi muito boa, claro que precisa ser melhorada como toda primeira edição. É preciso um acerto entre o município que quer o evento, a associação que pediu uma comunicação mais direta, tudo para poder se tornar o que se deseja; nós também desejamos. A própria associação me citou que gostaria de tentar melhorar, vamos torcer. Vou sugerir para o organizador também se aproximar dos jeeps e guias locais.

Agradeço a organização por estar investindo em maiores quilometragem dentro da nossa região, sim precisamos, e sim só crescemos juntos.

Deu ainda para curtir a fauna local e se divertir um pouco também.

image4

Na prova utilizei o tênis Ultra Raptor – LaSportiva, que não deixou a desejar, drenando bem e não escorregando nos limos e pedras.

Agora foco para meu maior desafio que vem em breve.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s